quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Enchente

Mais uma tempestade
chuva molhando a visão
Mergulhos na escuridão
Água engolindo cidades
Dor infinita crescendo
no ventre dos desabrigados
Tanta gente morrendo
Tanto sonho afogado
Olhares de desespero
e corações alagados
Crianças chorando de medo
Idosos desesperados
Chuva criando enredo
no peito do abandonado
Quem consegue escapar
só leva tristeza consigo
A chuva fazendo o mar
e o mar desfazendo abrigos
Nadando na alma dos desiludidos
Sem piedade, nem dó
Tudo que foi construído
o mar transformou em pó
Seguiu o seu curso
Arruinando, indiferente
Pintando com seu pincel
o triste desenho da enchente
Na agonia da paisagem
a chuva borrava a imagem 
E a água bebia gente

13 comentários:

  1. Querida Fofa, lindo!!!, hoje estou triste por tudo que acontece. Queremos fazer alguma coisa, mas o que????, só posso querer que a dor seja dividida mesmo que não saibam da minha existência, além da dor que sinto só me resta orar e pedir que Deus que zele por cada um dos necessitados, que segure um pouco essa chuva que esta fazendo com que vidas virem pura lama.
    beijos e lagrimas minha querida.

    ResponderExcluir
  2. Vá dormir querida, pode ser que o sol apareça logo ao amanhecer.

    ResponderExcluir
  3. E a água bebia gente.

    Passei aqui por acaso, mas me encantei com seu blog! Que posts lindos. Estou numa cidade afetada pelas chuvas e vejo de perto como é esse tipo de aflição.

    Voltarei mais vezes. Adorei conhecer seu blog =)

    ResponderExcluir
  4. Oi Fofa,
    Que poema bonito, gostei do ritmo, embora não goste das inundações que estão acontecendo.
    Bjkas e uma ótima 5ª-feira para vc.

    http://gostodistonew.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Liiiiiiiiiiiiiiiindo !

    Pois é sempre assim,estamos todos muito tristes com esses acontecimentos, meu Deus!
    O que o próprio homem causou a natureza, hoje ela nos dá a resposta, não podemos ser indiferentes à todas essas ocorrências.
    Está na hora do ser humano parar de ser tão egoísta , arregassar as mangas e trabalhar fortemente em favor dessa maravilha que Deus nos deu e que não soubemos aproveitar.
    Esse é um desabafo espetacular, que nos faz pelo menos por alguns segundos ,refletir.
    Pois nesse momento a mãe natureza chora e consequentemente faz e fará com que seus filhos chorem.

    Beijos linda ...

    ResponderExcluir
  6. Oi, querida fofíssima!

    Acompanho comovida o que você, com maestria, traduziu em poesia.
    Amei a reflexão feita por Reh Hoyer.
    Realmente a natureza chora lágrimas compulsivas e reage a nossa ação em torno dela.
    Mais uma vez, parabéns! Você faz a direrença! Bjs

    ResponderExcluir
  7. "E a água bebia gente..." - Nada mais belo e mais triste.

    Todo ano a água bebe gente aqui no Rio, e bebe muita gente. realidade que esperamos que um dia mude.

    Gostei! Beijo.

    ResponderExcluir
  8. Oi Carol...
    Acho que todos ja falaram o principal, só fico aqui mesmo torcendo que toda esta tragédia tenha um dia um fim digno, e que mais ninguém sofra tanto assim.É muita tristeza....
    beijos Neia

    ResponderExcluir
  9. Olá amiga!
    Lindo o seu blog, gostei do que ele contem e de sua forma.
    Um beijão.

    ResponderExcluir
  10. Seu blog é lindo! seus poemas bem escritos e inspirados. Parabéns.

    ResponderExcluir
  11. Tão lindo esse poema Carol, tão triste, tão real.
    Hoje tentando chegar ao trabalho (não consegui chegar) me deparei
    com cenas chocantes, parece um filme de terror que
    se repete todos os anos, em longos dias seguidos.
    E eu me pergunto: PQ isso acontece? Revolta da natureza?
    A AGUA BEBER GENTE...Perfeita colocação...
    Tõ muito triste.
    LINDA CAROL!

    ResponderExcluir
  12. Muito triste toda essa situação, e vc traduziu direitinho com as suas palavras!

    ResponderExcluir